Gerente Neanderthal

15 07 2010
http://gerentebeminformado.blogspot.com

Agora o blog está em outro endereço (http://gerentebeminformado.blogspot.com/) com novo layout e novas notícias. Clique na imagem abaixo e nos acompanhe.

[tweetmeme source=”gerentebeminfor” only_single=false]

Obviamente por ética, nomes, local e momento onde esta história ocorreu serão omitidos.

Um certo gerente, de uma certa empresa, um belo dia foi visitar uma outra empresa… Lá, encontrou um líder que o deixou maravilhado: o sujeito era excelente, demonstrava capacidade, tranqüilidade e conhecimento do trabalho. – “Preciso de um cara assim lá na empresa…” – pensou ele. E tanto fez, tanto conversou, que acabou convencendo o cara a largar o emprego onde estava e o indicou como líder de produção na fábrica onde trabalhava. Seria responsável por comandar um setor importante, subordinado diretamente a ele.

Os funcionários do setor no começo olharam desconfiados, afinal quem era aquele sujeito que já chegava numa posição de líder, indicado pelo próprio gerente da produção? Aos poucos foram se acostumando, e até mesmo gostando dele! Ao contrário do gerente, ele falava pausado, pedia “com licença” e “por favor”. Até ouvia as queixas dos funcionários e levava os assuntos até o gerente, sugerindo soluções e melhorias. Era firme e exigente, mas reconhecia o esforço do pessoal. Ao invés de punir erros, procurava ajudá-los a entender o que estava mal feito e corrigir, às vezes treinava pessoalmente quem precisava.

Não demorou para que o sujeito fosse elogiado por outros gerentes e líderes, o que despertou a preocupação do gerente de produção. Afinal, ele trouxera o rapaz e agora via que estava sendo ofuscado por sua presença… Em poucos meses ele se arrependera de ter trazido o líder da outra empresa e acabou entrando em atrito com o rapaz, tomando decisões opostas às sugeridas pelo líder apenas para demonstrar força, afinal, quem mandava ali era ele!

Seus sentimentos de inveja e ciúme pelo destaque do rapaz eram tão fortes que ele um dia o destratou na frente de todos os funcionários do setor e o demitiu! Não muito tempo depois, ele próprio fora demitido também, pois a empresa percebeu que seus métodos traziam desperdício, má-qualidade e desorganização… Mas nem sempre é assim.

Quando encontramos pela frente um desses fósseis vivos, a melhor decisão é se afastar. Ele sempre se impõe usando a força e muitas vezes obtém resultados satisfatórios para a empresa, razão pela qual é tolerado e, em alguns casos, incentivado! O problema é que junto com os resultados também virá a insatisfação da equipe e o esgotamento. Os talentos existentes irão procurar outras paragens e a empresa fica estagnada, ou pior! – Retrocede ao tempo das cavernas de onde o gerente neanderthal nunca deveria ter saído para ocupar um cargo de gestão… Quem permanece com ele é geralmente o pessoal que não se dedica, não busca melhorias e detesta inovações, pois tão grande quanto sua clava, o único instrumento de gestão que ele domina, é o seu ego. E esse pessoal acaba descobrindo isso e o paparica para ganhar sua simpatia e confiança, em troca dele deixá-los à vontade para enrolar, fazer muitas horas extras e não cumprir nenhum prazo.

Planejamento, análise de processos, mudanças, normalização, indicadores e registros, para ele e seus asseclas, são coisas absurdas criadas por aquele pessoal chato da Qualidade, que não os deixam trabalhar e são os “verdadeiros” responsáveis pelos atrasos.

Olhe bem a sua volta e veja se não tem nenhum desses espécimes por perto, querendo te caçar como faria com um tigre dentes de sabre…

Este post é uma adaptação de um post do blog Qualiblog.

Um abraço para todos.

Veja também:

10 Dicas para saber se alguém está mentindo, estilo Lie to Me

Dicas para ter ideias inovadoras

Transformando Grupos em Equipes

Anúncios




Transformando Grupos em Equipes

23 06 2010
http://gerentebeminformado.blogspot.com

Agora o blog está em outro endereço (http://gerentebeminformado.blogspot.com/) com novo layout e novas notícias. Clique na imagem abaixo e nos acompanhe.

[tweetmeme source=”gerentebeminfor” only_single=false]

Para transformar um grupo de trabalho numa equipe altamente eficaz precisamos tratar os sentimentos: de medo da perda da estrutura anterior; medo e resistência à mudança e insegurança e resistência às novas aprendizagens.

A convivência é tão importante quanto a realização da tarefa, pois é ela quem dá significado à nossa existência.

Se existe um problema a ser resolvido o ‘grupo’ trabalha fisicamente em conjunto, mas cada um cria a sua linha de raciocínio e tenta defendê-la.Se vemos uma equipe que ao tentar resolver o mesmo problema, gera idéias independentes a princípio, que são complementadas pelo ponto de vista dos outros participantes até que uma linha de raciocínio única seja construída.

Outra característica de uma equipe é a grande confiança no trabalho da outra pessoa.

Para você entender na prática, veja o vídeo a seguir:

Este post é uma adaptação de post do Administradores.com e Danosse.com.

Um abraço a todos.

Veja também:

5 dicas para se tornar um realizador

Os 8 segredos para o sucesso

Melhore sua comunicação








%d blogueiros gostam disto: