Ego, um inimigo?

18 10 2010

Ego. Fala-se muito do ego e também critica-se muito por conta do ego. Minha intenção nesse texto está longe de entrar em conceitos e explicações técnicas. Porém, há um ponto que é importante ter em mente desde já: não estou usando o termo no sentido psicanalítico, mas no senso comum mesmo, como sendo a fixação a uma identidade e seus mecanismos de defesa, orgulho, culpa etc.

Esse texto tem sim a intenção de fazer com que aconteça ai dentro uma reflexão. Eu lanço a dúvida e vocês respondem por conta própria.

Pensem em como as mais diversas invenções humanas tiveram e ainda têm muitas utilidades, para o bem ou para o mal. Armas de fogo, que hoje matam. Carros, que hoje matam. Facas para os churrascos de domingos, que hoje também matam. Do mesmo modo, a influência que seu ego exercerá sobre você vai depender de como você o trata e o encara. Caso não consiga domar a fera, ele se apresenta como seu inimigo.

O ego como inimigo profissional

Não estou falando do já conhecido pensamento de que a arrogância vai te detonar dentro de uma empresa, mas sim de como as suas inseguranças podem ser deliciosamente confortadas pelos elogios, muitas vezes repletos de segundas intenções.

Todos nós somos vendedores. Alguns vendem produtos, outros ideias, outros vendem causas. Para isso existe, dentre vários, um modelo de venda – se assim posso chamar – que ganhou minha atenção: o modelo do castelo. Nós somos feitos de inseguranças e daquilo que mais damos valor – muitas vezes sem deixar explícito. Isso que nós damos mais valor e não deixamos explícito é o nosso castelo. Pode não parecer, mas todo castelo é feito de cartas. Ou de areia.

Portanto, assim que superiores e chefes mal intencionados notarem uma insegurança habitando o castelo do “reconhecimento a toda hora”, por exemplo, os elogios brotam de maneira excessivamente assustadora.

“Você tem sido uma peça fundamental dentro dessa empresa, com uma capacidade incrível de se diferenciar do restante!”

Todos já ouviram algo do tipo, mas quantos analisaram o que de fato foi realmente feito no sentido de “se diferenciar do restante…”?

Os elogios por si só não são problemas e nem apresentam ameaças. O problema começa quando chegam os pedidos e as solicitações vindas depois dos elogios. Seria mais ou menos um: “Eu te elogiei, você é foda, agora preciso que faça isso pra mim…”. Ética, moral, profissionalismo, enfim, muitas vezes são deixados para trás quando existem interesses maiores em jogo.

O ego, quando não tido com cuidado, causa cegueira. Uma vez cegas, as pessoas vão para onde são levadas, sem reais questionamentos e análises.

O ego como inimigo pessoal

O ego vai se transformar em inimigo pessoal quando limitar e bloquear qualquer atitude que seja autêntica e verdadeira de qualquer pessoa.

Você provavelmente já esteve em uma mesa de bar ou em uma reunião informal qualquer onde uma pessoa se passa por “melhor que todos” a noite toda. Conhece todos, sabe de tudo e tem a vida que o pessoal aí fora sonha em ter. Ela é referência em todos os tipos de assuntos (para si mesma, claro).

Essa é uma situação onde o ego se transforma em inimigo pessoal, já que a cegueira não vai deixar enxergar o quanto aquilo não é um diálogo saudável. É chato, é pedante, é meio que “Pelo amor de Deus, eu preciso da aprovação de alguém”.

Outra situação em que o lado obscuro do ego grita “Oi, estou aqui!” é quando a autoconfiança vem sem o restante da fórmula: a humildade.

Já vi cenas onde o equilíbrio foi pro saco e as coisas deram errado. Já vi pessoas cantando a vitória, sem ao menos olhar para frente. Você provavelmente também já viu algo parecido. Veja esse vídeo como uma metáfora desse processo e dê quanta risada quiser:

Esse feito aconteceu em um jogo turco e ilustra melhor o que venho chamando de cegueira ao longo do texto. É literalmente uma cegueira. Não que a pessoa não consiga ver, mas na verdade não quer ver.
O mundinho do ego e a imensidão da realidade.

Um dos problemas, é que  ego em excesso prejudica. Mas como então trabalhar isso, dia após dia, para que se tenha um certo controle?

Quer um conselho, siga o seguinte: sempre que você estiver enfrentando um problema sério, pare e imagine o que aquilo significa para o universo, e o quão grande é realmente o seu problema. Chega a ser engraçado o resultado desse pensamento. Engraçado porque a consciência bate e fica claro que aquilo pode sim ser enfrentado, e que acaba sendo mínimo se comparado a tudo isso que nos cerca.

Comecei a entender que esse pensamento não serve somente para problemas, mas também para as vitórias. Assim que vencer algo, chegar a um objetivo, comemore, faça o que der na cabeça, mas saiba que aquilo é a comemoração de uma fase, de uma conquista, e que amanhã novos desafios virão. Desse jeito, evita-se a cegueira.

Se quiser ver isso de maneira mais clara, veja este vídeo abaixo:

E agora o que suas grandes decisões significam para o universo? Quão grande é realmente os seus problemas?

Um post adaptado do blog Papo de Homem.

Anúncios




Vencedores x Perdedores!

30 09 2010
http://gerentebeminformado.blogspot.com

Agora o blog está em outro endereço (http://gerentebeminformado.blogspot.com/) com novo layout e novas notícias. Clique na imagem abaixo e nos acompanhe.

“Os vencedores fazem acontecer: os perdedores deixam acontecer”. * Gilclér Regina

Algumas frases de vencedores e perdedores, para entendermos que o mais importante é a postura no modo de enxergar a vida.

O vencedor sempre faz parte da resposta e o perdedor sempre faz parte do problema.

O vencedor tem um plano, o perdedor tem uma desculpa.

O vencedor diz: “Deixe-me fazer isso por você”; o perdedor diz: “Isso não é minha função”.

O vencedor vê uma resposta para cada problema e o perdedor vê um problema em cada resposta.

O vencedor diz: “Talvez seja difícil, mas não impossível” e o perdedor diz: “Talvez seja possível, mas é difícil demais”.

Quando o vencedor comete um erro, diz: “Eu me enganei”; quando o perdedor comete um erro, diz: “Não tive culpa”.

O vencedor estabelece compromissos e o perdedor só faz promessas.

O vencedor diz: “Preciso fazer alguma coisa”; o perdedor diz: “Alguém precisa fazer alguma coisa”.

Os vencedores fazem parte da equipe e os perdedores estão à parte da equipe.

Os vencedores vêem o ganho, os perdedores, o gasto.

Os vencedores enxergam as possibilidades e os perdedores problemas.

Os vencedores acreditam no ganha ganha e os perdedores acreditam que, para alguém ganhar, alguém tem de perder.

Os vencedores enxergam o futuro e os perdedores falam do passado.

Os vencedores escolhem o que dizem e os perdedores dizem o que escolhem.

Os vencedores usam argumentos duros e palavras suaves… Os perdedores usam argumentos suaves e palavras duras.

Enfim, os vencedores mantém os seus valores e cedem em pequenas coisas e os perdedores mantém as pequenas coisas e sem seus valores.

Pensem nisso, e lembre-se ser vencedor ou perdedor pode ser definido pelo modo que você enxerga a vida.

Vocês tem mais alguma frase para esta coleção? Comentem.

Um abraço.

Post adaptado do oGerente e blog do Cleiton Mafra.





Gerente Neanderthal

15 07 2010
http://gerentebeminformado.blogspot.com

Agora o blog está em outro endereço (http://gerentebeminformado.blogspot.com/) com novo layout e novas notícias. Clique na imagem abaixo e nos acompanhe.

[tweetmeme source=”gerentebeminfor” only_single=false]

Obviamente por ética, nomes, local e momento onde esta história ocorreu serão omitidos.

Um certo gerente, de uma certa empresa, um belo dia foi visitar uma outra empresa… Lá, encontrou um líder que o deixou maravilhado: o sujeito era excelente, demonstrava capacidade, tranqüilidade e conhecimento do trabalho. – “Preciso de um cara assim lá na empresa…” – pensou ele. E tanto fez, tanto conversou, que acabou convencendo o cara a largar o emprego onde estava e o indicou como líder de produção na fábrica onde trabalhava. Seria responsável por comandar um setor importante, subordinado diretamente a ele.

Os funcionários do setor no começo olharam desconfiados, afinal quem era aquele sujeito que já chegava numa posição de líder, indicado pelo próprio gerente da produção? Aos poucos foram se acostumando, e até mesmo gostando dele! Ao contrário do gerente, ele falava pausado, pedia “com licença” e “por favor”. Até ouvia as queixas dos funcionários e levava os assuntos até o gerente, sugerindo soluções e melhorias. Era firme e exigente, mas reconhecia o esforço do pessoal. Ao invés de punir erros, procurava ajudá-los a entender o que estava mal feito e corrigir, às vezes treinava pessoalmente quem precisava.

Não demorou para que o sujeito fosse elogiado por outros gerentes e líderes, o que despertou a preocupação do gerente de produção. Afinal, ele trouxera o rapaz e agora via que estava sendo ofuscado por sua presença… Em poucos meses ele se arrependera de ter trazido o líder da outra empresa e acabou entrando em atrito com o rapaz, tomando decisões opostas às sugeridas pelo líder apenas para demonstrar força, afinal, quem mandava ali era ele!

Seus sentimentos de inveja e ciúme pelo destaque do rapaz eram tão fortes que ele um dia o destratou na frente de todos os funcionários do setor e o demitiu! Não muito tempo depois, ele próprio fora demitido também, pois a empresa percebeu que seus métodos traziam desperdício, má-qualidade e desorganização… Mas nem sempre é assim.

Quando encontramos pela frente um desses fósseis vivos, a melhor decisão é se afastar. Ele sempre se impõe usando a força e muitas vezes obtém resultados satisfatórios para a empresa, razão pela qual é tolerado e, em alguns casos, incentivado! O problema é que junto com os resultados também virá a insatisfação da equipe e o esgotamento. Os talentos existentes irão procurar outras paragens e a empresa fica estagnada, ou pior! – Retrocede ao tempo das cavernas de onde o gerente neanderthal nunca deveria ter saído para ocupar um cargo de gestão… Quem permanece com ele é geralmente o pessoal que não se dedica, não busca melhorias e detesta inovações, pois tão grande quanto sua clava, o único instrumento de gestão que ele domina, é o seu ego. E esse pessoal acaba descobrindo isso e o paparica para ganhar sua simpatia e confiança, em troca dele deixá-los à vontade para enrolar, fazer muitas horas extras e não cumprir nenhum prazo.

Planejamento, análise de processos, mudanças, normalização, indicadores e registros, para ele e seus asseclas, são coisas absurdas criadas por aquele pessoal chato da Qualidade, que não os deixam trabalhar e são os “verdadeiros” responsáveis pelos atrasos.

Olhe bem a sua volta e veja se não tem nenhum desses espécimes por perto, querendo te caçar como faria com um tigre dentes de sabre…

Este post é uma adaptação de um post do blog Qualiblog.

Um abraço para todos.

Veja também:

10 Dicas para saber se alguém está mentindo, estilo Lie to Me

Dicas para ter ideias inovadoras

Transformando Grupos em Equipes





Dicas para ter ideias inovadoras

7 07 2010
http://gerentebeminformado.blogspot.com

Agora o blog está em outro endereço (http://gerentebeminformado.blogspot.com/) com novo layout e novas notícias. Clique na imagem abaixo e nos acompanhe.

[tweetmeme source=”gerentebeminfor” only_single=false]

Um grande problema é que normalmente as pessoas acham que é só ter uma ideia e magicamente uma empresa é construída. Antes da ideia surgir, é importante estar preparado; depois da ideia, ainda existe MUITO trabalho pela frente.

Entendo que muitos de vocês já sabiam disso, mas agora vem o maior problema, Como gerar ideias para um negócio? Para esta dúvida temos algumas dicas.

  • Que tipo de atividade você faria mesmo que de graça? – É muito mais fácil ter ideias geniais relacionadas a áreas que você tem paixão. Pensar só em dinheiro não te tornará a pessoa mais criativa do mundo.
  • Ouça o maior número possível de pessoas – Uma ideia inicial é sempre imatura, ela precisa ser validada e evoluída. Conversar com pessoas reais é  a melhor forma de evoluir essa ideia.
  • Pense grande, comece pequeno e evolua rápido – É importante sair logo do lugar, comece a trabalhar ao invés de ficar anos só no planejamento.

Conclusão
Não fique esperando magicamente o dia em que terá uma ideia genial, pois muito provavelmente este dia não ira chegar quando você precisa. Mas lembre-se depois que ela surgir, saiba que isso é só o começo.

Este post é uma adaptação de um post do blog SaiadoLugar.

Um abraço para todos.

Veja também:

Transformando Grupos em Equipes

Os 8 segredos para o sucesso

Inspirando as pessoas, como líder e como empreendedor





Transformando Grupos em Equipes

23 06 2010
http://gerentebeminformado.blogspot.com

Agora o blog está em outro endereço (http://gerentebeminformado.blogspot.com/) com novo layout e novas notícias. Clique na imagem abaixo e nos acompanhe.

[tweetmeme source=”gerentebeminfor” only_single=false]

Para transformar um grupo de trabalho numa equipe altamente eficaz precisamos tratar os sentimentos: de medo da perda da estrutura anterior; medo e resistência à mudança e insegurança e resistência às novas aprendizagens.

A convivência é tão importante quanto a realização da tarefa, pois é ela quem dá significado à nossa existência.

Se existe um problema a ser resolvido o ‘grupo’ trabalha fisicamente em conjunto, mas cada um cria a sua linha de raciocínio e tenta defendê-la.Se vemos uma equipe que ao tentar resolver o mesmo problema, gera idéias independentes a princípio, que são complementadas pelo ponto de vista dos outros participantes até que uma linha de raciocínio única seja construída.

Outra característica de uma equipe é a grande confiança no trabalho da outra pessoa.

Para você entender na prática, veja o vídeo a seguir:

Este post é uma adaptação de post do Administradores.com e Danosse.com.

Um abraço a todos.

Veja também:

5 dicas para se tornar um realizador

Os 8 segredos para o sucesso

Melhore sua comunicação





11 Dicas para ser bom jogador futebol (foco na Copa do Mundo)

23 06 2010
http://gerentebeminformado.blogspot.com

Agora o blog está em outro endereço (http://gerentebeminformado.blogspot.com/) com novo layout e novas notícias. Clique na imagem abaixo e nos acompanhe.





5 dicas para se tornar um realizador

22 06 2010
http://gerentebeminformado.blogspot.com

Agora o blog está em outro endereço (http://gerentebeminformado.blogspot.com/) com novo layout e novas notícias. Clique na imagem abaixo e nos acompanhe.

Para se tornar um realizador, temos que entendermos o ritmo produtivo e evolução das pessoas é dividi-lo em três grandes grupos.

  • Os realizadores – são aqueles que saem do lugar e fazem alguma coisa seja para atingir seus objetivos, dar saltos na carreira, viver melhor seus relacionamentos e ter mais saúde e prosperidade em todos os sentidos.
  • Os conformados – são aqueles que já assumiram que simplesmente não barriga-cerveceradá pra mudar, que a vida é assim mesmo, que ele não nasceu com o “rabicó” virado para a lua e que acredita que time que está empatando pelo menos não tá perdendo.
  • Os procrastinadores – são aqueles que até tem vontade de mudar, de fazer algo diferente, que se motivam para criar planos, mas na hora H alguma coisa os impede de dar o próximo passo.

A parte triste dessa divisão é que todo mundo, pelo menos uma vez na vida, já teve um desses perfis presente na sua rotina. Não é verdade? Ninguém é 100% realizador. Com certeza, o Bill Gates, Steve Jobs, Sílvio Santos, João Doria ou qualquer outro desses personagens que são extremamente bem sucedidos, já tiveram seus dias de procrastinadores e conformados. Só que essas pessoas tem uma coisa em comum: eles conseguem administrar esses perfis e voltam rapidamente para o perfil realizador. Eles entendem que ninguém é inabalável, mas que todos tem uma capacidade inigualável de seguir em frente, no perfil adequado.

Entrar no perfil dos realizadores não é uma coisa do outro mundo, este são 5 passos chave para começar a realizar:

1 – Aprenda a administrar bem o tempo que você tem para ter mais energia para focar nas coisas que você gostaria de realizar.

2 – Defina 1-2 pequenas ou médias realizações que gostaria de ter nesse próximo semestre, compartilhe com uma pessoa de extrema confiança e monte um objetivo.

3 – Crie uma disciplina mental de pelo menos diariamente ler e revisar os planos dessas realizações. Algo que o mantenha conectado ao que deve ser feito.

4 – Ache uma forma de vencer a procrastinação ou o conformismo quando ele aparecer. Pode ser um vídeo, um filme motivador, um amigo que possa dar força, uma saco de porrada, etc..

5 – Faça um mapa mental com as possibilidades de mudanças, próximos passos, idéias ou pequenas coisas que podem te ajudar a chegar no seu resultado. A função desse exercício é colocar sua mente para criar ações executáveis e não apenas “contemplações conformistas”.

Mapas mentais nós iremos falar em um post futuro.

Este post é uma adaptação do blog Mais Tempo.

Um abraço a todos.








%d blogueiros gostam disto: